Club Setubalense Quinta-Feira  2006-02-16 21h00 [02-16 21h]
 
TERTÚLIA DE CULTURA CIENTIFICA Entrada livre
 
           Novos Materiais
 
      Maria João Carmezim
 
 Professora Coordenadora da ESTSetúbal / Instituto Politécnico de Setúbal
http://gecea.ist.utl.pt/Membros/MJC/  Licenciatura em Engenharia Metalúrgica, Instituto Superior Técnico http://www.ist.utl.pt (1986). Mestrado em Engenharia de Materiais, Instituto Superior Técnico <http://www.ist.utl.pt>, Universidade Técnica de Lisboa (1992). Doutoramento em Engenharia de Materiais, FCT/Universidade Nova de Lisboa (2001).  Publicações Representativas :
--- M.J. Carmezim, M. Simões, M.O. Figueiredo, M. Da Cunha Belo, “Electrochemical behaviour of thermally treated Cr-oxide films deposited on stainless steel”, Corros. Sci., 44, 451 (2002);
--- M.J. Carmezim, M.O. Figueiredo, “Manganese and iron speciation in chromium oxide films over steel”, Adv. Mater. Forum I, 230-232, 311 (2002);
--- M.J. Carmezim, M.O. Figueiredo, "The protective effect of spinel-type chromium oxide coating on stainless steel", Protective Coatings and Thin Films: Synthesis, Characterization and Applications, Edt. Y. Pauleau & P.B. Barna, NATO ASI Series, 3. High Technology - Vol. 21, pp. 431, Kluwer Acad. Publ. (1997). Investigadora
Grupo de Estudos de Corrosão e Efeitos Ambientais
Instituto de Ciência e Engenharia de Materiais e Superfícies http://www.icems.ist.utl.pt/
Av. Rovisco Pais   P - 1049-001 Lisboa Portugal   
telefone: (+351) 21 841 79 62  fax: (+351) 21 840 45 89mailto:mjcarmezim#ist.utl.pt    Doutoramento em Ciências dos Materiais, especialidade de Análise Estrutural   Maria João Pedroso Carmezim  Dissertação: "Filmes de Passivação: Estrutura e Comportamento" 
http://www.spmateriais.pt/socios.htm


[02-16 21h] Para conhecer a “história” dos materiais utilizados pelo homem desde os tempos pré-históricos até à actualidade, e a sua importância na evolução da sociedade. Perspectivam-se novos desenvolvimentos no domínio da Ciência de Materiais e apresentam-se exemplos de aplicação às áreas do ambiente, da microelectrónica, da indústria automóvel e aeronáutica, da engenharia biomédica, e da nano-tecnologia. Por último serão apresentados alguns projectos de investigação nos quais a oradora esteve ou está presentemente envolvida. 

http://ltodi.est.ips.pt/empresas/files/386.pdfTratamento Superficial da liga NiTi para Optimização da Biocompatibilidade e Resistência à Corrosão em Aplicações Biomédicas

Projecto de Investigação  Vertebra   O projecto “Tratamento Superficial da liga NiTi para Optimização da Biocompatibilidade e Resistência à Corrosão em Aplicações Biomédicas” foi recomendado para financiamento pela FCT,  Nele colaboram uma instituição universitária e duas politécnicas, entre as quais a ESTSetúbal. A equipa de três investigadores doutorados integra a Prof. Maria João Carmezim, por parte da  ESTSetúbal, e deverá ser alargada a um bolseiro  e um estudante de  doutoramento.  Como é conhecido, as  ligas de NiTi têm vindo  a ser utilizadas como  material para aplicações  biomédicas, devido  às suas características  mecânicas (memória de forma e  superelasticidade) e físico-químicas (biocompatibilidade).  Apesar de existirem na literatura vários estudos sobre a resistência à corrosão do  Nitinol em contacto com meio fisiológico, os resultados obtidos revelam-se contraditórios. Por outro lado são escassos os estudos sobre o comportamento face à corrosão do Nitinol, após deformação e sob tensão, apesar de serem estas as condições reais a que o material fica sujeito  quando implantado no corpo humano. Outro  aspecto importante relacionado com o  desempenho dos implantes é o efeito         conjunto da corrosão e do fenómeno de  desgaste que conduz à aceleração da  degradação do filme passivo. A minimização  deste fenómeno é crítica na longevidade  da maioria dos dispositivos implantados.  Face ao exposto anteriormente, testes de corrosão da liga NiTi serão executados “in vitro”, o que evita as questões éticas e legais associadas com a experimentação  “in vivo”, com o objectivo de clarificar os resultados publicados na literatura. Serão também efectuados testes de simulação do comportamento à tribo-corrosão destas ligas sendo para o efeito desenvolvido um equipamento, até à data inexistente em Portugal, que permita realizar este tipo de ensaios. Encontram-se frequentemente referenciados na literatura processos inflamatórios associados com a utilização deste material, sendo a toxicidade do níquel contido nestas ligas apontada como a causa principal. É, assim, um dos objectivos principais do projecto, o desenvolvimento e selecção de um processo de modificação da superfície da liga que conduza a uma diminuição/ anulação do teor de níquel, assegurando simultaneamente a manutenção da memória de forma.    Os tratamentos de superfície a desenvolver – electroquímicos, térmicos e físicos – que conduzirão preferencialmente a filmes de  passivação constituídos por óxido de titânio,   serão seleccionados por ensaios electroquímicos e testes tribológicos que simulam a situação “in vivo”. Finalmente os filmes passivos formados na liga antes e após tratamento serão caracterizados quanto ao seu comportamento semicondutor numa tentativa de relacionar as propriedades protectoras do filme com a sua estrutura electrónica. Esta abordagem permite um conhecimento mais fundamentado do fenómeno de passivação possibilitando a previsão do comportamento do material em condições agressivas.    Assim sendo, o projecto trata de um tema em aberto, de interesse actual, para o qual ainda não foi dada resposta conclusiva.

Maria João Carmezim    Professora do Departamento de Engenharia Mecânica da ESTSetúbal

   VOLTAR