Club Setubalense   [08-13 18h] SÁBADO 13 Agosto 18hCONCERTO

Piano com Gonçalo Curto e Luís Lopo

 TEMPORADA DE VERÃO Programa
1ª Parte
W. A. Mozart (1756‐1791) – Sonata para Piano Nº 12 em Fá Maior, KV. 332
I. Allegro
II. Adágio
III. Allegro Assai
D. Scarlatti (1685‐1757) – Sonata para Piano em Dó Maior Nº 104
Alexandre Delgado (1965 ‐ ) – Pequena Obsessão Compulsiva
Clotilde Rosa (1930 ‐ ) – Balada
2ª Parte
F. Chopin (1810‐1849) – Nocturno Op. 72 Nº 1 em Mi menor
F. Chopin (1810‐1849) – Nocturno Op. 27 Nº 1 em Dó# menor

Gonçalo
F. Chopin (1810‐1849) – Scherzo Nº 2 Op. 31 em Sib menor
J. S. Bach (1695‐1750) – Prelúdio Coral “Nun komm’ der Heiden Heiland” BWV 659 (transc. de Gonçalo Curto)
A. Scriabin (1872‐1915) – Estudo Op. 2 Nº 1 em Dó # menor
S. Rachmaninoff (1973‐1943) – Momento Musical Nº 4 em Mi menor, Op. 16 Nº 4
 

_____________________________________
Luís Lopo nasceu no Montijo, Portugal, em 1991. Iniciou os seus estudos musicais aos 6 anos de idade, tendo entrado no Conservatório Regional de Setúbal em 2002 na classe do professor Eduardo Jordão, passando posteriormente a frequentar a classe do professor Nuno Batoca, actual docente na Escola de Música do Conservatório Nacional de Lisboa. Actualmente frequenta o primeiro ano da licenciatura em música na Universidade de Évora na classe de piano da professora Ana Telles. Noutras áreas de ensino estuda com professores como Benoît Gibson, Roberto Pérez, Christopher Bochmann, João Lucena e Vale, Yan Mikirtumov e José Menezes. A par da sua actividade a solo, tem integrado também grupos de música de câmara, com diversos tipos de formações, bem como o Coro do departamento de Música da Universidade de Évora. Este ano participou em Masterclasses de piano com a pianista Lilian Akopova (Vencedora do Concurso Internacional de Piano Vianna da Motta 2010) no Instituto Jean Piaget, Almada, bem como na Masterclass do pianista Christophe Simonet (Professor no Conservatório Nacional de Região de Lille, França) na Universidade de Évora.
_________________________________________
Gonçalo Curto, natural de Sines, nasceu a 1 de Agosto de 1991. Iniciou os seus estudos musicais aos 5 anos de idade, particularmente, sob a orientação do guitarrista Carlos Silva. Passado cerca de um ano ingressou no Conservatório Regional de Setúbal, onde realizou todo o seu percurso na disciplina de piano sob a orientação de Nuno Batoca. Aos 15 anos concluiu com 19 valores o 8º grau de piano, tendo continuado ainda a estudar piano durante um ano em curso livre. Aos 17 anos ingressou no curso de música, ramo de composição, na Universidade de Évora, onde foi aluno dos professores Christopher Bochmann e Pedro Amaral. Neste momento está a prestes a finalizar o curso de composição e em preparação para ingressar no mestrado no ramo de piano. Da sua actividade musical fora da sua formação académica descaca-se a sua participação em vários coros, nomeadamente o Ensemble Vocal
Manuel Mendes, o Coro Odyssea e o Quarteto Quattro Voci.

Música para Piano

Luís C. F. Henriques

O piano é, para muitos, a grande invenção do século XIX, no que à música diz respeito. Existe alguma razão nesta afirmação. O piano realmente revolucionou a forma de encarar a prática da música. Até bem tarde no século XVIII o músico virtuoso encontrava-se na figura do violinista (lembre-se a extensa produção de música para este instrumento durante o Barroco), contudo, a partir da segunda metade do mesmo século esta tende a deslocar-se para o virtuosismo ao piano. Graças à “invenção” porparte de Bartolomeo Cristofori, por volta de 1700 de um teclado com piano e forte os compositores passaram a ter um universo de possibilidades à sua disposição

 

Wolfgang Amadeus Mozart nasceu em Salzburgo, a 27 de Janeiro de 1756 e morreu em Viena, a 5 de Dezembro de 1591. O seu estilo representa uma síntese de vários elementos diferentes unindo-se, durante o período vienense (a partir de1781), num idioma tido actualmente como o pico máximo do Classicismo vienense. A maturidade musical, nítida pela sua beleza melódica, a elegância formal e a riqueza harmónica e textura resulta num colorido operático italiano enraizado na tradição instrumental austríaca e alemã. Não será, pois, exagero considerá-lo como um dosmais universais compositores da história da música Ocidental. A Sonata para Piano em Fá maior K 332 terá sido escrita em Viena por volta de 1783, tendo sido publicada em Viena no ano seguinte. A Sonata é um exemplo característico da sonata clássica: o primeiro andamento (Allegro) é em forma sonata exposição, desenvolvimento e reexposição do material inicial) assim como o é o último (Allegro assai), onde secções num estilo cantabile aparecem justapostas. O segundo andamento (Adagio) pelo seu carácter sugere que o compositor pretendia alguma ornamentação por parte do intérprete como atesta a edição impressao rmanentada de Artaria, supervisionada pelo próprio Mozart. Domenico Scarlatti nasceu em Nápoles, a 26 de Outubro de 1685 e morreu em Madrid a 23 de Julho de 1757. Filho de um dos mais importantes compositores do primeiro barroco,

 

Alessandro Scarlatti, Domenico irá contribuir de forma decisiva para o desenvolvimento da sonata para teclado. Esteve ao serviço da Corte portuguesa de 1721 a 1729, mudando-se para Espanha aquando do casamento de da Princesa Maria Bárbara com Fernando VI. Scarlatti foi um dos mais destacados compositores da primeira metade do século XVIII.Escrita originalmente para cravo, a Sonata em Dó maior “La Caccia” K 159aparece no manuscrito de sonatas de 1752 presumindo-se que tenha sido escrita umou dois anos antes. Apesar de cronologicamente ser uma das suas últimas sonatas,pelo seu carácter jovial poder-se-ia datá-la como uma obra de juventude. Com indicação de Allegro a Sonata abre com um tema alegre numa breve exposição sendo novamente repetido. Segue-se o desenvolvimento mudando ligeiramente o ambiente da secção anterior, para o modo menor, mantendo contudo o mesmo espírito. Este é um exemplo claro do modelo de sonata scarlattiana.

 

Alexandre Delgado nasceu em Lisboa em 1965. Estudou violino e música de câmara na Fundação Musical dos Amigos das Crianças entre 1978 e 1985. Foi alunoparticular de Joly Braga Santos entre de 1981 a 1985. Obteve em 1992 o prémio “Joãode Freitas Branco” em composição recebendo também encomendas de obras defestivais no País de Gales e Londres. A sua obra Antagonia para violoncelo solo foiseleccionada pelo júri da ISCM para o World Music Days 93, na Cidade do México. EmMarço de 2001 foi compositor convidado no Festival Maastricht (Países-Baixos), ondeforam interpretadas algumas das suas obras. A obra Pequena Obsessão Compulsiva foiescrita para piano em 1995.

 

Clotilde Rosa nasceu em Queluz a 11 de Maio de 1930. Cresceu num ambientecom forte tradição musical. A sua música possui um colorido rico assim comoum conteúdo acentuadamente dramático e emocional. Utiliza, na descrição domaterial, uma herança de raiz serial muito livre como um fio condutor, organizando-as paralelamente e criando pequenas células que fazem aparecer fragmentos domaterial temático assim como módulos rítmicos. Bagatela para piano foi escrita em1994, encomenda das Ed. Colien Honegger para o Album de Colien. Foi estreada emBarcelona em 1996 pela pianista Ananda Sukarlan

 

Frédéric (ou Franciszek) Chopin nasceu em Zelazowa Wola (Polónia), a 1 deMarço de 1810 e morreu em Paris a 17 de Outubro de 1849. Apesar da sua vida breve,Chopin é (junto com Schumann, Schubert, Mendelssohn e Liszt entre outros) um dosgrandes compositores de música para piano. Chopin escreve quase na totalidade parao piano.O Nocturno em Mi menor, apesar de ter sido publicado postumamente como opus 72, foi escrito em 1827, quando o compositor tinha dezassete anos. Esta obrarepresenta um forma (o nocturno) ainda a dar os primeiros passos: a estrutura ea invenção de Chopin são ainda relativamente simples comparativamente com asgrandes obras que ainda estariam para vir.No Nocturno em Dó sustenido menor, segundo do grupo de dois que compõemo Opus 27 Chopin atinge um novo nível de inspiração. Estes nocturnos, escritosem 1835, são dedicados à Condessa d’Appony. O Nocturno tem como indicaçãode andamento Larghetto. Logo no início, um contraste entre a tonalidade maiore menor dá-lhe um ambiente misterioso. Um baixo de larga extensão dá-lhe ocarácter “nocturno”. A secção central da obra, mais complexa, em Lá bemol maiorcomprova a inspiração de Chopin. O Nocturno termina com uma coda no modo maior.O Scherzo N.º 2 em Si bemol menor Op. 31 foi escrito em 1837. Para Schumann,esta obra possuía o espírito apaixonado de Lord Byron. O início, em jeito de pergunta-resposta desenvolve-se para uma das melodias mais extensas que Chopin já utilizou.O trio em Lá maior, uma economia de meios, desenvolve para uma secção de plenovirtuosismo. O “desenvolvimento” consequente, bastante tempestuoso, é umarepetição quase exacta do material temático principal culminando numa coda que unevários elementos dispersos num final glorioso.

 

Johann Sebastian Bach é um dos grandes nomes da história da música. Bach nasceu em Eisenach (Alemanha), a 21 de Março de 1685 e morreu em Leipzig a 28de Julho de 1750. O mais importante membro da família de músicos, o génio de Bach combina uma habilidade interpretativa excepcional e uma inesgotável capacidade criativa com uma mestria técnica e um controlo intelectual sobre a música que cria.O prelúdio-coral Nun Komm’ der Heiden Heiland BWV 659 pertence ao grupode Dezoito Grandes Prelúdios Corais BWV 651-668, preparados por Bach entre 1740e 1750 com base em obras escritas anteriormente em Weimar. Este prelúdio-coral foioriginalmente escrito para órgão (2 manuais e pedaleira) e tem como modelo o coralluterano que o intitula (“Venha, Salvador dos pagãos”), para a festa da Incarnação. Aparte mais grave (pedaleira) move-se por colcheias numa espécie de baixo contínuoenquanto que as duas partes intermédias se movem num movimento de canon sob ocantus firmus da parte superior. Esta melodia, de grande extensão, praticamente não éperceptível por entre a ornamentação das partes inferiores.

 

Alexander Scriabin nasceu em Moscovo, provavelmente a 25 de Dezembrode 1871 e morreu na mesma cidade a 14 ou 27 de Abril de 1915. Scriabin é uma dasfiguras mais marcantes dos inícios do século XX no que diz respeito à música. A sualinguagem musical continua a ser romântica, contudo, afasta-se da harmonia funcionaltradicional, aproximando-se das novas linguagens modernas que surgem no início doséculo. Scriabin é ele também pianista e esse facto reflecte-se na sua obra para piano.O Estudo em Dó sustenido menor Op. 2 N.º 1, de 1887, revela a maturidadede um compositor ainda adolescente. Um estudo da tonalidade, com acordes pedaise cantabile. Num estilo claramente russo, pela extensão das frases ondulantes e umambiente marcadamente melancólico, revelando uma afinidade com Rachmaninov.Logo nos primeiros compassos podemos ouvir o acorde de sexta francesa (que incluidois trítonos , tido como diabolus in musica, o diabo na música e um dos preferidos deScriabin) que, pelo cromatismo, tende a fugir à tonalidade.

 

Sergey Rachmaninov nasceu em Oneg (Império Russo), a 20 de Março ou 1 deAbril de 1873 e morreu em Beverly Hills (E.U.A.), a 28 de Março de 1943. Rachmaninové um dos melhores pianistas do seu tempo e um dos últimos representantesdo Romantismo tardio de influência russa. A sua música tem um carácter lírico,formalmente algo ingénua, com uma multiplicidade de cores harmónicas.O Momento Musical N.º 4 em Mi menor Op. 16 é a quarta peça de um conjuntode 6 Momentos Musicais Op. 16, escritas por Rachmaninov no final de 1896. AquiRachmaninov exibe um estilo pianístico mais individual que em obras anteriores.Temas aparentemente cromáticos e ligeiramente sincopados, inicialmente no modomenor covertendo-se no modo maior dará o mote às seis peças que compõem oOpus 16. A quarta peça contém o andamento mais rápido do grupo, um Presto,um autêntico desafio à resistência do músico. A obra inicia com um motivo na mãoesquerda com uma extensão de um intervalo de décima. Rachmaninov utiliza melodiasduplicadas, numa forma de “obscurecer” a percepção da melodia.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

(MARIA EDWARDS-cancelado)

  Voltar